Segurança digital para cartórios: como proteger dados sensíveis

A segurança é uma preocupação fundamental para garantir a integridade e confidencialidade dos dados sensíveis dos cidadãos e empresas. Como instituições que lidam com documentos legais e transações financeiras, as serventias extrajudiciais são alvos potenciais de ameaças cibernéticas, fraudes e vazamentos de informações.

Neste contexto, os cartórios precisam estar preparados. A proteção dos dados sensíveis é vital, não apenas para a reputação do cartório, mas também para cumprir com obrigações legais de privacidade e segurança, como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), uma das mais importantes regulamentações sobre a temática no Brasil.

Os dados sensíveis podem ser elementos particulares do indivíduo como etnia e origem racial, orientação religiosa e política, dados biométricos e financeiros. Os cartórios, pela sua capacidade de coletar e armazenar, devem se atentar à segurança das informações, escolher o método mais eficaz para a proteção e que o controle das informações não seja usado em propósitos prejudiciais à atividade notarial.

Mas como proteger os dados sensíveis em cartórios? A seguir, apresentamos diretrizes para colocar em prática e aumentar a segurança digital nas serventias.

1. Criptografia de dados

Cada movimento financeiro deve ser protegido com sistema de criptografia de ponta a ponta. A proteção com chaves de acesso privativas impedem que invasores acessem as informações de titulares e pagamentos, evitando falhas e vulnerabilidades em procedimentos realizados e armazenados na plataforma.

2. Treinamento de funcionários

Com a implementação de políticas voltadas à segurança de informação e respeitando os princípios da LGPD, os funcionários são orientados para atuar com responsabilidade na proteção. As atividades envolvem avaliação de riscos, realização de procedimentos e utilizando ferramentas para o setor de segurança digital, alinhados às medidas de conformidade da legislação vigente.

3. Acesso restrito

A proteção das informações de cartórios e clientes deve ser essencial para evitar golpes e ataques digitais. A utilização de sistemas antivírus no sistema de gerenciamento, bem como a capacitação de funcionários para promover medidas de segurança, se torna uma medida que evita problemas com invasores.

4. Auditoria e monitoramento

O estabelecimento de sistema de gerenciamento e integração financeira auxilia o monitoramento das ações realizadas pela serventia. Com links de pagamento a distância, extratos e relatórios de todas as movimentações disponibilizadas em um único lugar, qualquer movimento feito por funcionários ou clientes pode ser avaliado e protegido de maneira simples.

Através de um sistema ERP, as serventias podem recuperar dados sensíveis e importantes com o sistema de backup, criando parâmetros para a pesquisa e recuperação dos arquivos de cartórios e clientes.

5. Parcerias com fornecedores seguros

A modernização de um cartório passa essencialmente pela contratação de um serviço de gateway de pagamento completo. Por conta da capacidade de coletar, processar e armazenar informações, as serventias devem contar com sistema antifraude, com soluções presenciais ou à distância, acompanhando a Lei Geral de Proteção de Dados e certificações de segurança de informação digital.

A Parcela Express, tecnologia financeira exclusiva para o segmento notarial e registral, é certificada em LGPD e outras certificações internacionais de proteção de dados, atestando o compromisso da empresa em garantir que todas as operações de pagamentos sejam processadas, tratadas e armazenadas em ambiente seguro.

Oficial, leve para sua serventia a solução de pagamento que é parceira dos cartórios do Brasil e tenha a segurança sempre em primeiro lugar em sua serventia!

Comece a receber com o Parcela Express agora